‘Mulheres e crianças africanas são as principais vítimas dos conflitos’

Posted on 11 February 2011 by admin

Por Thandi Winston

DACAR, Senegal, 10/2/2011 (IPS/TerraViva) – Uma das líderes feministas e filha da África, a estudiosa nigeriana Amina Mama disse que o militarismo está à espreita, principalmente em países como Serra Leoa e Libéria. Ela diz que a guerra e os conflitos estão afetando especialmente as mulheres e as crianças, que são vulneráveis.

Amina falou à IPS durante o Fórum Social Mundial, sobre o militarismo no continente e sobre os debates feministas deste ano no Fórum.

“As mulheres e as crianças se tornaram as principais vítimas dos conflitos, não importa se é chamado de conflito pós-colonização ou não, e eu acredito que os interesses corporativos insuflaram os conflitos”, disse ela.

Rape survivor in Malawi's Dzaleka camp for Congolese refugees: every month, seven to ten cases of gender-based violence are reported; few perpetrators are brought to justice. Credit: Kristin Palitza/IPS

Sobrevivente de estupros no campo Dzaleka para refugiados congoleses em Malaui. Todo mês, são denunciados de sete a dez casos de violência de gênero, mas poucos violentadores são levados à justiça. Crédito: Kristin Palitza/IPS

As violações dos direitos humanos inflingidas às mulheres durante os conflitos foram devastadoras. Em uma pesquisa de 1999, realizada com as mulheres de Ruanda como parte da iniciativa militarista do Fundo Global para Mulheres (GFW), 39% declararam terem sido estupradas durante o genocídio de 1994, e 72% disseram que conheciam alguém que havia sido estuprada.

Em uma pequena amostra das 388 refugiadas liberianas vivendo nos acampamentos em Serra Leoa, três quartos delas declararam terem sofrido abusos sexuais antes de serem expulsas de suas casas na Libéria. O GFW acredita que mais da metade delas sofreram violências sexuais desde a expulsão.

Das mulheres deslocadas na África, entre 50 mil e 64 mil foram alvos de violência sexual durante o longo conflito armado de Serra Leoa.

Amina, que é fundadora do primeiro jornal acadêmico feminista africano, “Feminist Africa”, atualmente preside o conselho do Fundo Global para as Mulheres, que faz doações para organizações mundiais lideradas por mulheres.

“Houve algumas mudanças na natureza dos conflitos e das guerras em algumas partes da África”, ressaltou ela, e “estas mudanças estão levando a um tipo particular de policiamento, vigilância e de violência contra a mulher. Estão se acumulando com o passar do tempo”.

“O Congo é um exemplo, se você rastrear no passado a violência e os estupros, verá que começaram durante o período colonial. Era prática corrente”, explicou.

“E hoje os homens absorveram essa cultura e a missogenia que o militarismo ocidental lhes ensinou.”

Amina está atualmente trabalhando com ativistas africanas na Nigéria, Serra Leoa e Libéria para desenvolver um entendimento claro sobre o impacto dos conflitos armados nas mulheres e crianças. Envolverde/IPS

(FIM/2011)

Share

Leave a Reply

Advertisement - CAIXA

World Assembly of Migrants
TerraViva - 9 February 2011
TerraViva - 9 February 2011   TerraViva - 8 February 2011   TerraViva - 7 February 2011

Key Global Coverage on IPS NEWS

IPSNews Pictures on www.flickr.com
 

			Nnimmo Bassey - Friends of the Earth, Nigeria   
			Traders at the WSF   
			Seminar on Migration   
 

			The People Need to Take Leadership   
			Representatives from Western Sahara at the WSF   
			WSF attracts global participation   
Multimedia content Partners

Flamme d'Afrique     Panos Institute West Africa

World Social Forum