África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Butão propõe medir a felicidade do mundo
Haider Rizvi

Nações Unidas, 9/4/2012 , (IPS) - O dinheiro pode comprar a felicidade? Para o governo do Butão, chegou o momento de o mundo responder esta antiga pergunta.

“Estamos iniciando um movimento global sobre este tema”, informou à IPS o primeiro-ministro desse país da Ásia meridional, Jigme Thinley. O chefe de governo participou da reunião de alto nível “Felicidade e bem-estar: defendendo um novo modelo econômico”, realizada no dia 2 deste mês na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Thinley explicou que o objetivo é que a comunidade internacional reconheça a urgente necessidade de uma mudança de modelo para conseguir um desenvolvimento sustentável. O primeiro-ministro explicou que seu país considera como modelo a Felicidade Nacional Bruta (FNB), que guiou suas políticas de desenvolvimento por várias décadas. Disse, ainda, esperar que o resto do mundo adote este modelo.

O conceito de FNB foi cunhado em 1971 pelo quarto rei do Butão, Jigme Singye Wangchuck, que destacou que se tratava de uma referência muito mais importante do que o produto interno bruto (PIB). A noção implica que o desenvolvimento sustentável não deveria depender apenas de aspectos econômicos. Desde então, a ideia de FNB influenciou a política econômica e social do Butão, e também chamou a atenção de outras pessoas fora de suas fronteiras.

Segundo funcionários butaneses, seu país criou um sistema de medição que não seria útil apenas para o desenho de políticas nos governos, mas também para organizações não governamentais e empresas. O indicador incorpora elementos socioeconômicos tradicionais, com padrões de vida, saúde e educação, mas também outros aspectos, como cultura e bem-estar psicológico.

“É um enfoque integral sobre o bem-estar geral da população butanesa, e não um ranking subjetivo psicológico da felicidade por si só”, explicou Thinley. O Butão identificou nove parâmetros para medir a FNB: bem-estar psicológico, educação, saúde, uso do tempo, diversidade cultural, boa governança, vitalidade comunitária, diversidade ecológica e padrões de vida.

Segundo a FNB de 2010 do Butão, 41% dos seus habitantes foram qualificados como “felizes. Os 59% restantes variavam de “felizes por pouca margem” a “infelizes”. Para ser considerada “feliz” uma pessoa deve ter suficiência em seis das nove categorias. As pessoas “profundamente felizes”, cerca de 8%, gozavam de suficiência em sete ou mais das nove variáveis. Funcionários governamentais disseram que o conceito de felicidade manejado em seu país, inspirado no budismo, “é muito mais amplo do que o usado na literatura ocidental”.

Em 2011, a Assembleia Geral da ONU adotou por unanimidade uma resolução, proposta pelo Butão e com apoio de 68 Estados-membros, exortando por um “enfoque integral do desenvolvimento”, destinado a promover a felicidade e o bem-estar de forma sustentável.

A reunião de alto nível da semana passada em Nova York reuniu líderes, especialistas em desenvolvimento e representantes da sociedade civil para desenvolver um novo modelo econômico baseado na sustentabilidade e no bem-estar. “É imperativo construirmos uma visão nova e criativa para a sustentabilidade e para o nosso futuro”, afirmou o presidente da Assembleia Geral, Nasir Abdulaziz Al-Nasser. “Isto permitirá um enfoque mais inclusivo, equitativo e equilibrado”, explicou.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que o PIB foi por muito tempo um critério usado por economistas e políticos, mas que “não considera os custos sociais e ambientais do chamado progresso”. Para o ativista pelos direitos humanos indiano Vinanda Shiva, “é um acontecimento importante que não deve ser ignorado”, disse se referindo à iniciativa do Butão.

Seu compatriota Asghar Ali Engineer acrescentou: “De qual felicidade falamos aqui? Se for de felicidade para todos os seres humanos, teremos que mudar este sistema econômico” global. Enquanto continuarem estes padrões de consumo, “não creio que milhões de pessoas em todo o mundo sejam felizes”, acrescentou. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S. Airdrops to Kobani Kurds Mark New Stage in ISIL Conflict
 History of Key Document in IAEA Probe Suggests Israeli Forgery
 Pressure Building on Obama to Impose Ebola Travel Ban
 Despite Public’s War Weariness, U.S. Defence Budget May Rise
 Ahead of Myanmar Trip, Obama Urged to Demand Extractives Transparency
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Ébola provoca crisis alimentaria en África occidental
 EEUU modificará obsoletos controles de productos químicos
 Belice se esfuerza por preservar su arrecife de coral
 2015 será un año decisivo para el desarme nuclear
 EEUU ayuda a combatientes kurdos en Siria y Turquía da un giro
MÁS >>