África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

ESPANHA
Cooperação com o Sul em queda livre
Tito Drago

Madri, Espanha, 4/5/2012, (IPS) - A agência de cooperação espanhola persiste em seus planos para a América Latina, como os anunciados esta semana em benefício do Peru e da Guatemala, mas drásticos cortes orçamentários limitarão fortemente sua tarefa futura no Sul em desenvolvimento em áreas estratégicas como educação e saúde.

Em conjunto com a Cruz Vermelha, a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid) anunciou ajuda para cerca de 450 famílias afetadas pelas últimas inundações nos distritos peruanos de Belén, Punchana, San Juan Bautista e Mazán, na região de Loreto. O programa inclui promover a higiene e a saúde comunitárias, bem com a entrega de cobertores, colchonetes, artigos de primeira necessidade, mosquiteiros, pastilhas purificadoras de água e outros elementos para fornecer e conservar água apta para consumo humano.

Quanto à Guatemala, a Aecid ativou o Fundo da Água e do Saneamento para a América Latina e o Caribe, que tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida nas áreas mais pobres dessa região, melhorando e facilitando o acesso aos serviços de água potável e saneamento. O lançamento do Fundo foi dirigido a empresas espanholas, guatemaltecas e de outras nacionalidades para atraí-las para as licitações que serão feitas para as obras públicas que o governo da Guatemala prevê dentro de seu programa "Água para todos".

Estas duas atividades e outras em curso prosseguem no momento, apesar dos cortes decididos para esta e outras áreas estatais pelo governo do primeiro-ministro Mariano Rajoy a fim de enfrentar a severa crise econômico-financeira que afeta seu país e vários vizinhos da União Europeia. O chanceler José Manuel García-Margallo, após dizer que "a Espanha está em uma crise de enorme magnitude", admitiu que, além das medidas de austeridade já decididas pelo governo, o país precisa do apoio do Ministério que conduz, tal com aprovou o Conselho de Ministros.

Os fundos de cooperação diminuirão este ano em US$ 1,84 bilhão, metade do previsto originariamente, e em particular a Aecid receberá US$ 790 milhões a menos. Assim, a ajuda ao desenvolvimento pode, inclusive, ser menor do que 0,29% do produto interno bruto, cifra com que foram fechadas as contas de 2011, bem longe do 0,7% comprometido pela Espanha com a comunidade internacional. Outra área afetada, que também incide na assistência externa, é a educação, que terá corte de três bilhões de euros (US$ 4 bilhões), representando a maior parte do ajuste de dez bilhões de euros previstos para o orçamento geral do Estado para 2012.

A redução do orçamento educacional traz implícitas mudanças no ensino, como aumento do número de alunos por sala e a consequente redução do quadro de professores. No ensino primário, a quantidade de alunos passará de 20 para 30 por sala, e no secundário de 31 para 35. "Não é a mesma coisa atender dois ou três alunos com necessidades especiais em um grupo de 20 e em um de 30", disse à IPS um professor de uma escola de Madri, que pediu para não ser identificado porque sua função não permite que fale à imprensa sobre estes assuntos.

O secretário-geral de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, Gonzalo Robles, discorda. "Se fará mais com menos", aproveitando os recursos para que a educação melhore e não para piorá-la", disse em um ato por ocasião da Semana de Ação Mundial pela Educação, realizada na semana passada em Madri. Uma afirmação que não foi bem recebida em âmbitos educacionais.

O coordenador da não governamental Campanha Mundial pela Educação, Jorge Serrano, pediu que "8% da Ajuda Oficial ao Desenvolvimento sejam destinados ao ensino básico". Serrano também pediu que o governo de Rajoy renove seu compromisso de fornecer fundos para a Aliança Mundial pela Educação, que promove essa campanha. Robles só respondeu que "a educação será prioritária, junto com a saúde, no novo Plano Diretor de Cooperação", mas não deu números. Também garantiu que a América Latina e a África subsaariana são as regiões que estão no topo da lista para essa assistência.

Para a porta-voz da organização não governamental Intermón Oxfam, Verónica Hernández, a redução na cooperação externa decidida em 2011 se consolidará este ano, e o impacto será maior do que o previsto. Concordando, a Coordenadoria de ONGs para o Desenvolvimento declarou que às reduções orçamentárias destinadas pelo governo espanhol deverão se somar as das comunidades autônomas e dos municípios.

A vice-primeira-ministra, Soraya Sáenz de Santa María, explicou o "ajuste de contas", afirmando que o país está "diante de uma situação limite nos cofres públicos, o que exige esforços no âmbito da consolidação fiscal e das reformas estruturais". Por isto, está sendo adotado um "conjunto de medidas", com redução em torno de 17% em cada Ministério, "em busca de sair do atoleiro econômico, voltar a crescer e gerar emprego".

No primeiro trimestre deste ano já ficaram sem trabalho 365.900 pessoas, aumentando para 5.639.500 os desempregados na Espanha, que representam 24,4% da população economicamente ativa. Os cortes decididos por Rajoy e seus ministros provocaram fortes reações em quase todas as cidades do país, especialmente entre estudantes e professores que realizaram atos de ocupação de bibliotecas e de locais universitários em defesa da educação pública. Envolverde/IPS

(FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S. Airdrops to Kobani Kurds Mark New Stage in ISIL Conflict
 History of Key Document in IAEA Probe Suggests Israeli Forgery
 Pressure Building on Obama to Impose Ebola Travel Ban
 Despite Public’s War Weariness, U.S. Defence Budget May Rise
 Ahead of Myanmar Trip, Obama Urged to Demand Extractives Transparency
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Asia, tan cerca y tan lejos de erradicar la poliomielitis
 Premio a “visionaria” ley de Bolivia contra violencia de género
 Economía y política exterior oponen candidatos en Brasil
 Cambio climático en el Caribe es una amenaza inmediata y real
 EEUU destruye sus propias armas, ahora en manos enemigas
MÁS >>