África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

COLUNA
Um basta às manobras de obstrução da indústria do tabaco
Mirta Roses-Periago*

Washington, Estados Unidos, 1/6/2012, (IPS) - Na medida em que mais e mais países cumprem suas obrigações relacionadas com o Convênio Marco da Organização Mundial da Saúde para o Controle do Tabaco, os esforços da indústria para miná-lo se tornam mais agressivos.


Crédito: Claudius/IPS

Por isso, o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado ontem, chamou para o combate à interferência da indústria tabagista no desenho e na implantação de políticas de saúde pública destinadas a controlar a epidemia de tabagismo.

Isto é crucial porque o consumo de cigarros é uma das principais causas evitáveis de morte, e mata cerca de seis milhões de pessoas por ano, incluindo 600 mil não fumantes expostos à fumaça do cigarro alheio. Somente com uma ação rápida e efetiva pode-se evitar que o tabaco mate quase oito milhões de pessoas por ano até 2030, mais de 80% delas em países de renda baixa e média. De modo que há um conflito fundamental e irreconciliável entre os interesses da saúde pública e os da indústria do tabaco.

Apesar do dano causado pelo consumo de seus produtos, as empresas do setor continuam divulgando-os de maneira ativa, incluindo ações de promoção claramente dirigidas à população jovem. Para defender seus interesses multimilionários, uma estratégia que utilizam cada vez mais no mundo, e em particular na América, é a intimidação por meio do litígio ou da ameaça de concretizá-lo.

Por exemplo, uma tentativa para deter a adoção de regulações rígidas no maço e rótulo dos derivados de tabaco, a indústria adota a tática de processar os países com base em tratados bilaterais de investimento, alegando que essas regulamentações afetam o uso de suas marcas legalmente registradas. Este é o caso do Uruguai e da Austrália. As tentativas do setor para minar o Convênio também ocorrem em outras políticas, como as de ambientes livres de fumaça de cigarro.

Felizmente, a maioria dos casos de litígio termina com vitória da saúde pública. Vários tribunais constitucionais da América Latina decidiram que a liberdade de comércio não pode estar acima da obrigação do Estado de proteger outras garantias fundamentais como os direitos à vida, à integridade pessoal e à saúde, entre outros. Por isso, é crucial apoiar os países ameaçados porque tratam de proteger suas políticas públicas da nefasta interferência da indústria tabagista, para o que há uma série de medidas efetivas e diretrizes contempladas no Artigo 5.3 do Convênio.

No Dia Mundial Sem Tabaco 2012, e durante todo o ano, a Organização Pan-Americana de Saúde exorta os países da região a serem mais rigorosos em seus esforços contra a interferência da indústria do tabaco. Os meios de comunicação e as organizações da sociedade civil podem e devem apoiar as autoridades públicas neste esforço comum para proteger a vida e a saúde da população. Envolverde/IPS

* Mirta Roses-Periago é diretora da Organização Pan-Americana de Saúde. (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Survivors of Sexual Violence Face Increased Risks
 Pro-Israel Hawks Take Wing over Extension of Iran Nuclear Talks
 OPINION: How Ebola Could End the Cuban Embargo
 U.S. Missing in Child Rights Convention
 A Game-Changing Week on Climate Change
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Las armas nucleares, piezas de negociación en la política mundial
 El esquisto deja a la OPEP sin la golosina de los precios altos
 Lecciones para Jamaica de una sequía de 1.000 millones de dólares
 Lobby proisraelí de Estados Unidos arremete contra Irán
 Pueblo indígena vence a la sequía y la desnutrición en Honduras
MÁS >>