África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

G-20 e Rio+20: povos juntos, governos separados
Emilio Godoy

Cidade do México, México, 20/6/2012, (IPS) - Organizações da sociedade civil rejeitam que os resultados da reunião dos chefes de Estado e de governo do Grupo dos 20 (G-20), realizada no México, se misturem com os debates da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

As cúpulas do "G-20 e da Rio+20 estão capturadas pelos interesses corporativos, especialmente os financeiros", denunciou à IPS a ativista Diana Aguiar, da Rede Brasileira pela Integração dos Povos. "A inserção do crescimento verde no G-20 busca capturar as discussões em um espaço mais democrático na Rio+20", que começa hoje e termina no dia 23, no Rio de Janeiro, acrescentou.

Representantes de organizações sociais de 20 países industrializados e emergentes participaram entre os dias 16 e 19 da Cúpula dos Povos, o fórum alternativo à reunião do G-20. O fórum paralelo aconteceu na cidade de La Paz, Estado da Baixa Califórnia Sul, e a reunião dos governantes teve por cenário Los Cabos, luxuoso centro turístico no litoral do Pacífico, no México.

As organizações da sociedade civil qualificam o G-20 de ilegítimo, por ameaçar o sistema multilateral representado pelas agências e pelos programas da Organização das Nações Unidas (ONU) e criticam o fato de não apresentar soluções de fundo para temas como pobreza e a tríplice crise financeira, alimentar e ambiental.

O G-20 reúne o Grupo dos Oito países mais industrializados (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Japão, Itália e Rússia) e também Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, África do Sul e Turquia, além da União Europeia. Também participaram como convidados em Los Cabos os governantes de países como Chile, Colômbia e Espanha.

Estes mandatários debateram assuntos como políticas contra a crise financeira, segurança alimentar, crescimento verde, luta contra a mudança climática, transparência e corrupção, em um encontro, de todo modo, dominado pelas urgências da Europa. Vários desses temas também integram a agenda da Rio+20, cuja etapa principal começa hoje no Rio de Janeiro.

"Nos mobilizamos globalmente para denunciar que tanto G-20 quanto Rio+20 são parte da agenda corporativa para impor uma agenda excludente e que deixa milhões na pobreza", afirmou à IPS o costarriquenho Jorge Coronado, da Rede Latino-Americana sobre Dívida, Desenvolvimento e Direitos. "Por isso, propomos uma articulação orgânica dos dois espaços. Nos opomos à 'financeirização' da natureza", destacou, ao comentar as conclusões da Cúpula dos Povos em La Paz.

De fato, as reuniões de La Paz e do Rio de Janeiro juntaram seus debates ontem, para compartilhar e multiplicar a ressonância desses argumentos. A declaração final da reunião alternativa no México propõe a criação de impostos sobre as transações financeiras internacionais, o fim dos paraísos fiscais, o controle de fluxos, a exclusão dos alimentos do esquema financeiro e o direito a educação e saúde.

Além disso, reclamam a garantia da soberania alimentar, a defesa e proteção dos territórios das comunidades e a necessidade do acesso a água, saúde e sistemas de assistência social. Também assumiram os postulados de um documento preparado pelo fórum de La Paz no qual se critica o vínculo entre G-20 e Rio+20. As duas cúpulas "reforçam um modelo de desenvolvimento baseado na privatização, no parasitismo financeiro sobre a economia real e no aprofundamento do esquema de livre comércio e de investimentos", diz o texto intitulado G-20/Rio+20. Duas Cúpulas, uma só Luta. Proteger os Bens Comuns, não os Bancos!.

"O G-20 é uma tentativa de abordar temas de livre comércio, incluindo os bens naturais. O meio ambiente não é um bom tema para os países ricos, apoiados pelas grandes corporações", afirmou à IPS o ativista Tony Salvador, da Aliança de Trabalhadores Progressistas das Filipinas. "O que propomos é que estes temas devem ser tratados na ONU, no fórum onde todos os países participam", esclareceu. A declaração da Cúpula dos Povos da Rio+20 vai incorporar alguns elementos do documento divulgado na jornada final de La Paz.

Quando acontecia a reunião do G-20, o Comitê de Facilitação da Sociedade Civil da Cúpula dos Povos na Rio+20 rechaçava qualquer tentativa de as decisões tomadas em Los Cabos serem levadas para a conferência no Brasil. "Condenamos e denunciamos este fato, que não só reforça o sistema econômico que promove a monetarização da natureza, mas também sua vergonhosa captura das democracias do mundo", afirmou o Comitê. "Há um interesse muito claro de que a agenda verde do G-20 esteja presente na Rio+20. Isto seria um retrocesso", alertou Aguiar, de La Paz.

Vários governantes presentes em Los Cabos viajaram direto para o Rio de Janeiro, entre eles os primeiros-ministros Wen Jiabao, da China, e Manmohan Singh, da Índia, bem como o presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak. Outros mandatários, como o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chefe de governo da Alemanha, Angela Merkel, não participarão da crucial cúpula ambiental. O presidente mexicano, Felipe Calderón, não havia confirmado sua participação.

O G-20 "não pode ser o espaço para discutir estas temáticas, é a ONU, com a participação de seus 193 Estados-membros em igualdade de condições, e não em um círculo fechado", observou Coronado. "A agenda econômica da Rio+20 tem estreitos vínculos com o G-20. Ambas se retroalimentam em buscar salvar o sistema do colapso, sem nenhuma mudança significativa nas estruturas que são a principal causa da crise atual", critica o documento da Cúpula dos Povos debatido em La Paz. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S. Airdrops to Kobani Kurds Mark New Stage in ISIL Conflict
 History of Key Document in IAEA Probe Suggests Israeli Forgery
 Pressure Building on Obama to Impose Ebola Travel Ban
 Despite Public’s War Weariness, U.S. Defence Budget May Rise
 Ahead of Myanmar Trip, Obama Urged to Demand Extractives Transparency
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Asia, tan cerca y tan lejos de erradicar la poliomielitis
 Premio a “visionaria” ley de Bolivia contra violencia de género
 Economía y política exterior oponen candidatos en Brasil
 Cambio climático en el Caribe es una amenaza inmediata y real
 EEUU destruye sus propias armas, ahora en manos enemigas
MÁS >>