África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

RIO+20
Índios marcham no Rio e protestam contra o BNDES
Mario Osava

Rio de Janeiro, Brasil, 19/6/2012 (TerraViva) , (IPS) - O alvo foi o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). É porque financia as hidrelétricas que estão desgraçando a vida dos índios, justificou Renato Nambikwara, do Mato Grosso.


Crédito: Mário Osava
Indígenas marcham no Rio de Janeiro em protesto contra hidrelétricas na Amazônia.
Mais de 500 índios marcharam pelas ruas centrais do Rio de Janeiro, na manhã de segunda-feira, partindo do Aterro do Flamengo, onde ocupam uma das tendas da Cúpula dos Povos, e culminando na sede do BNDES. Não foram recebidos pela direção, mas protestaram contra os grandes projetos apoiados pelo banco.

Demarcação das terras indígenas, não ao etnocídio e às hidrelétricas diziam alguns dos cartazes.

As barragens que estão obstruindo os rios Juina e Juruena são a principal ameaça aos índios da região em que se localiza a Terra Indígena Nambikwara, em que vivem 1.250 pessoas, no centro-oeste do Mato Grosso, explicou Renato que veio ao Rio de Janeiro participar da conferencia Rio+20.

Muitas pequenas centrais já foram construídas ou estão planejadas para os rios Juina e Juruena, cujas aguas engrossam o Tapajós, um dos grandes afluentes do Amazonas onde também se prevê construir cinco hidrelétricas, neste caso grandes, dentro de alguns anos.

Além disso, a lavoura de soja, algodão e outras monoculturas apertam o cerco aos índios, fazendo desaparecer a pesca, a anta e outros animais que compõem a alimentação tradicional.

Represas são, também, grandes inimigas para Ivan Bribis, da reserva Apucarana do povo Kaingang, perto de Londrina, no Paraná. O Rio Tibagi, que cruza a região rumo ao Paranapanema, na fronteira entre os estados do Paraná e São Paulo, já tem a Usina Mauá, com capacidade de 361 megawatts. Outra de tamanho similar é o próximo projeto e há propostas de se construir ali uma sequência de sete ou oito barragens.

O Tibagi praticamente deixará de ser um rio, já que sua extensão se limita a 550 quilômetros, temem os índios.

A luta pela terra é outra bandeira de Apucarana. A reserva só tem 5.600 hectares e 80 por cento é de proteção permanente, deixando pouca terra para os 1.700 habitantes. A extensão original, há 60 anos, era dez vezes maior. "Houve um erro de demarcação", segundo Ivan, e a luta é para recuperar a área que consta dos documentos históricos.

O BNDES se tornou inimigo dos índios ao financiar hidrelétricas e também a produção de etanol, através das monoculturas de cana de açúcar que também prejudicam as terras indígenas, completou. c222 Índios marcham no Rio e protestam contra o BNDES

Na manifestação, que percorreu cerca de dois quilômetros, estava também a missionária equatoriana Nancy Oliva, que está no Brasil há seis anos, pela Congregação Laurita, apoiando os índios Xavante, também no Mato Grosso.

É importante a presença na Cúpula dos Povos, o encontro da sociedade civil da conferencia Rio+20 da ONU, para defender os direitos dos índios pela sua própria voz, em diálogo com outros povos, avaliou a religiosa católica. "Brasil é um país rico em natureza, terras", mas isso não se estende aos índios.

"O desenvolvimento acelerado não considera os seres humanos", as hidrelétricas lhes tiram o peixe, vital para a alimentação indígena. Para piorar uma ferrovia cruzará a terra Xavante, onde a falta de atenção médica obriga a levar crianças a cidades distantes. "Elas não regressam ou voltam no caixão", lamentou a missionária. (IPS/TerraViva)

* Publicado originalmente no site TerraViva. (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S. Airdrops to Kobani Kurds Mark New Stage in ISIL Conflict
 History of Key Document in IAEA Probe Suggests Israeli Forgery
 Pressure Building on Obama to Impose Ebola Travel Ban
 Despite Public’s War Weariness, U.S. Defence Budget May Rise
 Ahead of Myanmar Trip, Obama Urged to Demand Extractives Transparency
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Ã‰bola provoca crisis alimentaria en África occidental
 EEUU modificará obsoletos controles de productos químicos
 Belice se esfuerza por preservar su arrecife de coral
 2015 será un año decisivo para el desarme nuclear
 EEUU ayuda a combatientes kurdos en Siria y Turquía da un giro
MÁS >>