África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Maioria de indígenas na pobreza
Ethan Freedman

Washington, Estados Unidos, 26/6/2012, (IPS) - As comunidades aborígines constituem 5% da população mundial, mas são mais de 15% dos pobres, segundo estudo divulgado pelo Banco Mundial.


Crédito: Camilo Segura/IPS
Participante da IV Cúpula de Líderes Indígenas, que aconteceu em Cartagena de Índias, Colômbia, em abril.
A maior proporção de indígenas encontra-se na China, onde chegam a 36% dos 1,3 bilhão de habitantes do país. A seguir vem a Ásia meridional, com 32%, e o sudeste asiático, com 10%, segundo o documento Povos Originários, Pobreza e Desenvolvimento, um tratado sobre estas comunidades da Ásia, África e América Latina.

O grupo de estudo Brookings Institute, com sede em Washington, informou que há cerca de 900 milhões de pessoas pobres, isto é, que vivem com menos de US$ 1,25 por dia. "Alguém poderia pensar que a pessoa mais abaixo na escala social seria a que mais progrediria, mas não é assim", afirmou Shantayanan Devarajan, economista-chefe para a África do Banco Mundial.

Não há definição universal sobre o que é ser indígena, mas Marcelo Giugale, diretor de redução de pobreza e economia do Banco Mundial, disse que são "pessoas vinculadas pelo ato de compartilhar", principalmente recursos, cultura e experiências. Os 350 milhões de indígenas que se estima existirem no mundo são pobres porque são marginalizados econômica, política e geograficamente.

A Organização das Nações Unidas (ONU) está dando maior ênfase ultimamente às populações indígenas, com a realização, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), do Fórum Permanente para as Questões Indígenas, em maio, para discutir como aumentar sua participação política. "A armadilha da pobreza não é econômica, mas política", para os aborígines, opinou Devarajan. Também se referiu ao apartheid como exemplo de povos indígenas excluídos da política apenas por razões raciais.

A crescente ênfase nos povos indígenas se deve, em parte, aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) - entre eles reduzir a pobreza e a fome, alcançar a educação universal, a igualdade de gênero e a sustentabilidade ambiental - e, ainda, ao esforço destinado a melhorar a difícil situação dos pobres do mundo.

"Não poderemos superar a pobreza nem a iniquidade nem alcançar os ODM em nossa região se não melhorarmos a vida de todos, especialmente dos mais excluídos", disse o diretor do Pnud para a América Latina e o Caribe, o chileno Heraldo Muñoz, que também se referiu às "políticas sociais integradas, financiadas mediante mais estruturas fiscais progressistas" para ajudar a promover as mudanças necessárias.

A falta de progresso econômico nas comunidades indígenas é particularmente importante na América Latina. Segundo o Informe de Desenvolvimento Humano, elaborado pelo Pnud em 2010, a extrema pobreza - quando a pessoa vive com menos de um dólar por dia - na América Latina e no Caribe é o dobro nas populações indígenas.

O único avanço sustentado na redução da pobreza de populações autóctones na América Latina ocorreu no Chile, onde caiu de 25% para 15% entre 1996 e 2005, segundo Harry Anthony Patrinos, economista chefe de educação do Banco Mundial. Entretanto, a pobreza na América Latina alcançou seu nível mais baixo em 20 anos, segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

"A pobreza e a desigualdade seguem em queda na região, o que é uma boa notícia, especialmente no contexto da crise econômica internacional", apontou Alicia Bárcena, secretária executiva da Cepal. "Porém, os avanços são ameaçados por brechas na estrutura produtiva da região", acrescentou.

O maior avanço entre populações indígenas ocorreu na China, único lugar onde a redução da pobreza foi superior nos grupos minoritários do que no majoritário, o povo han. Uma das razões é que a "China tem foco em regiões ou zonas em lugar de pessoas", ao oferecer aos povos indígenas mais programas que habilitam mudanças sistemáticas, em lugar de vagos gestos políticos tendentes a obter votos.

Nos Estados Unidos, os aborígines têm historicamente uma relação difícil com os imigrantes europeus, os quais tiraram suas terras e acabaram condenando uma quantidade significativa deles a viver na pobreza e em reservas. As últimas estatísticas do Escritório do Censo dos Estados Unidos situou o grau de pobreza dos povos aborígines em 26,3%. Contudo, em 2010, observou-se que, comparativamente, apenas 15,1% da população estava abaixo da linha de pobreza. Porém, as pessoas que se autodefinem indígenas, isto é, com sangue aborígine, em 2010, constituíam apenas 1,7% dos 309 milhões de habitantes deste país.

O descaso com as populações autóctones se estendeu até nossos dias. Em 2000, o Congresso norte-americano destinou US$ 1,6 bilhão ao Escritório de Assuntos Indígenas, mas não foram pagos todos os fundos. No dia 18 deste mês, a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu que o governo federal deve pagar às tribos aborígines pelos gastos que tiveram na gestão de programas federais de educação, segurança interna e proteção ambiental. Envolverde/IPS

(FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Yakama Nation Tells DOE to Clean Up Nuclear Waste
 World Cuts Back Military Spending, But Not Asia
 The Iranian Nuclear Weapons Programme That Wasn’t
 U.S. Blasted on Failure to Ratify IMF Reforms
 Developing Nations Seek U.N. Retaliation on Bank Cancellations
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Incidencia mundial del cáncer versus mortalidad por región
 Países con mayor incidencia y mayor mortalidad por cáncer
 Distribución de casos de cáncer en Jordania
 Diez principales tipos de cáncer en Perú
 Jordania soporta pesada carga oncológica
MÁS >>