África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Biodiversidade ameaçada por projeto para redirecionar o Danúbio
Vesna Peric Zimonjic

Belgrado, Sérvia, 4/7/2012, (IPS) - A biodiversidade está cada vez mais ameaçada em torno do Rio Danúbio, "o Amazonas da Europa". O espírito lucrativo está passando por cima da necessidade de proteger os recursos naturais da região.


Crédito: Vesna Peric Zimonjic/IPS
O Danúbio, tal como flui naturalmente pela Sérvia.
Áustria e Croácia participam de um importante projeto para "corrigir" o serpenteante curso do Danúbio, para facilitar a passagem dos navios comerciais que seguem rumo ao Mar Negro.

"As ameaças à natureza são sérias", disse à IPS a presidente do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) na Sérvia, Duska Dimovic. "A biodiversidade é transfronteiriça; as aves e os peixes circulam livremente entre Sérvia e Croácia. Obras importantes em um dos países influirão imediatamente nos vizinhos ao longo do rio", explicou.

Um cinturão verde de 800 mil hectares acompanha as margens do Danúbio e de seus afluentes, o Drava e o Mura, na Áustria, Croácia, Eslováquia, Hungria e Sérvia. Trata-se de uma reserva natural única de biodiversidade típica de terras inundáveis e pântanos, que abriga um terço das espécies de plantas da região, metade das de peixes e mamíferos e 63% das de aves.

Na região prosperam colônias de raras águias de cauda branca, pequenas andorinhas do mar, cegonhas pretas, castores e lontras. O esturjão barba de franja está à beira da extinção, mas sobrevive. E também podem ser avistados cervos vermelhos aproximando-se da margem. Milhares de famílias dependem do Danúbio para a pesca e a agricultura, atividades vinculadas às cheias e vazantes do rio.

As considerações comerciais ameaçam tudo isso. O Danúbio, com quase três mil quilômetros de comprimento, conecta o continente europeu de leste a oeste. As dez nações que se estendem ao longo de suas margens (Alemanha, Áustria, Eslováquia, Hungria, Croácia, Sérvia, Romênia, Bulgária, Moldova e Ucrânia) utilizam o rio para transporte barato de mercadorias. Direta ou indiretamente, o Danúbio serve a mais de 40 países europeus para transportar anualmente milhões de toneladas de mercadorias do oeste do continente até o Mar Negro. O rio está vinculado ao canal Reno-Meno-Danúbio, que começa no delta do Reno, na cidade holandesa de Roterdã.

"É compreensível o interesse de importantes países europeus na navegação comercial", observou o economista Nebojsa Savic. "O transporte de caminhões em enormes barcaças é 14 vezes mais barato do que se for feito por estrada, e cinco vezes menor com relação ao trem", detalhou. Uma barcaça pode transportar até cem caminhões. O transporte comercial no Danúbio aumentou 27% nos últimos dois anos, segundo o Escritório de Estatísticas da Sérvia.

O Danúbio atravessa a Sérvia em um trajeto de 600 quilômetros. Ingressa no norte, vindo da Hungria, forma a fronteira natural com a Croácia e depois se interna na Romênia. As grandes obras para corrigir seu curso incluem a construção de um quebra-mar (barreiras em forma de "T"), que o impedem de serpentear, além da adaptação das margens, bem como a criação de ilhas de areia natural no meio.

No entanto, essas obras também podem mudar completamente o ecossistema da área. Aves, peixes e outros animais perdem seu habitat e vão embora, ou mesmo morrem, alertam os ambientalistas. A Áustria construiu várias dezenas de quebra-mares ao longo de 49 quilômetros do rio, a leste de Viena, ao custo de US$ 274 milhões. As pressões dos ambientalistas húngaros impediram a concretização de um projeto semelhante nesse país.

Segundo planos internacionais, para a regulação do Danúbio, a Croácia poderia construir 53 quebra-mares ao longo de seus 53 quilômetros de rio. O novo governo, que assumiu no começo deste ano, ainda tem que tomar uma posição sobre esta proposta, que enfrenta forte oposição dos ecologistas. "Isso significaria a morte certa do Kopa?ki Rit, por exemplo", alertou Arno Mohl, especialista em conservação do WWF, que visitou a região na semana passada.

Kopa?ki Rit, que fica na confluência dos rios Drava e Danúbio, na Croácia, é um habitat natural para mais de 260 espécies de aves. Entre elas a grande garça branca e o pássaro carpinteiro verde europeu. Também prosperam ali muitas espécies de peixes e insetos. "Esperamos que Croácia e Sérvia não cometam o erro que meu país cometeu nas décadas de 1970 e 1980, com a correção do fluxo do Danúbio", afirmou Mohl, natural da Áustria, país que há décadas iniciou o projeto para endireitar o curso do rio.

Na Sérvia não está claro o que ocorrerá no futuro próximo. No dia 6 de maio, ocorreram eleições gerais, mas o país ainda não tem um governo, e é possível que não o forme num prazo superior a um mês. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Africa-U.S. Summit – Catching Up With China?
 The Age of Survival Migration
 New York’s Homeless Pushed Deeper into the Shadows
 Obama Mulling Broader Strikes Against ISIS?
 U.S., Brazil Nearing Approval of Genetically Engineered Trees
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Las mujeres “rotas” tienen otra oportunidad en Afganistán
 Las razones por las que Kazajstán desmanteló su arsenal nuclear
 VIH/sida llama a revisar desventajas sociales en Cuba
 Las mujeres, pilar en la lucha social de la Patagonia chilena
 Hacia un centro de coordinación informativa sobre gobernanza mundial
MÁS >>