África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Unctad aconselha investimentos sustentáveis
Marcela Valente

Buenos Aires, Argentina, 6/7/2012, (IPS) - Os investimentos estrangeiros diretos devem estar dirigidos especialmente ao desenvolvimento sustentável dos países receptores, afirmou a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) ao apresentar, ontem, seu informe anual.

"É uma mudança de visão. Defende-se uma nova geração de políticas de investimento que não se preocupem apenas por atraí-lo, mas também em maximizar os efeitos esperados", disse à IPS o economista argentino Fernando Porta.

Este acadêmico do Centro Redes de Pesquisa para o Desenvolvimento interpretou dessa forma a novidade principal da mensagem incluída no relatório da Unctad sobre investimentos apresentado em Buenos Aires e outras capitais do mundo. O Informe sobre os Investimentos no Mundo 2012 tem como subtítulo Para uma nova geração de políticas de investimento. A pedido dos países, há uma reavaliação sobre a atração de capital e as necessidades do desenvolvimento.

"Os acordos de proteção de investimentos começam a contemplar em maior medida o interesse dos Estados-parte", observou Porta. "A ideia é manter o clima favorável ao investimento, mas dentro de uma agenda de desenvolvimento explícita", acrescentou. No contexto desta ideia, o Informe lança um novo indicador que pretende vincular o investimento estrangeiro direto com seus efeitos no desenvolvimento. "Antes, os indicadores eram basicamente quantitativos. Isto é uma tentativa de melhorar", ressaltou.

O documento indica que em 2011 o investimento estrangeiro direto no mundo cresceu 16%, em relação a 2010, mas prevê uma paralisação para este ano, devido à incerteza pela crise financeira internacional, e uma leve recuperação a seguir. Os países em desenvolvimento e as chamadas economias de transição atraíram 51% dos fluxos de capitais, embora com disparidades. Nos países industrializados também houve um desempenho muito heterogêneo na captação.

Cresceram os investimentos na China e na Índia, mas caíram na Ásia ocidental e no Oriente Médio. Na África, o maior volume foi captado pela região subsaariana, especialmente Nigéria e África do Sul, e retrocederam os países do norte. Quanto à América Latina, os investimentos estrangeiros aumentaram, em média, 16% no ano passado, mas o desequilíbrio é importante, já que a América do Sul registrou aumento de 34% e a América Central de apenas 4%, enquanto o restante foi para o Caribe insular. Onde mais cresceram em relação ao período anterior foi no Brasil e na Colômbia.

Segundo o estudo, este aumento de investimentos na América do Sul se deve principalmente à expansão de seus mercados de consumo, às taxas de crescimento econômico relativamente altas e à sua riqueza em matéria de recursos naturais. Também houve um crescimento moderado em Argentina, Chile e Peru, enquanto no México houve uma queda.

Para Porta, a maior atividade está relacionada com o reinvestimento dos ganhos para o aproveitamento de mercados internos. "No Brasil e na Argentina há um relativo fomento dos investimentos industriais e barreiras comerciais que permitem fazer reservas de mercado e, então, as empresas tendem a saltar esses obstáculos ampliando a capacidade local de produção", acrescentou.

O Informe destaca que na região há uma retirada de fluxos dos Estados Unidos e da União Europeia e um avanço por parte da Ásia, tanto de países emergentes quanto do Japão, e também, cada vez mais, de outros Estados da região, com Brasil, México e Colômbia. Em quase todos os casos predominam os projetos de aumento da capacidade produtiva e, em menor medida, os fluxos que vão para as aquisições e fusões, embora no caso do Chile estas últimas predominem.

Nos países industrializados, os investimentos cresceram para Estados Unidos e Canadá, na Europa em menor medida, com forte debilidade em países em crise como Espanha, Portugal e Grécia, e caíram no Japão. O Informe também destaca a elevada liquidez das empresas transnacionais (estima-se superior a US$ 5 trilhões) e destaca a potencialidade que têm para financiar o desenvolvimento em momentos de crise.

Outro elemento da internacionalização está nos fundos soberanos, de US$ 125 bilhões. Esses fundos dos Estados Unidos, que há três ou quatro anos não existiam como potencial de investimento, hoje são 6% ou 7% do total, explicou Porta. A análise observa maior tendência à aplicação de restrições. "A liberalização e a promoção dos investimentos seguem sendo objetivos principais, mas numerosos países sentem a necessidade de reajustar as políticas de portas abertas", afirma.

A esse respeito, o economista destaca que os acordos bilaterais de investimento perderam impulso e em seu lugar crescem os que têm alcance regional. Também indicou que em 2011 houve 46 novos conflitos relativos a tratados bilaterais. Alguns desses casos questionam políticas públicas nacionais cruciais, que levaram os Estados a expressarem um descontentamento crescente com relação às formas de resolução de conflitos entre Estados e investidores e sugerem reformas, alerta o Informe. Envolverde/IPS

(FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S., Brazil Nearing Approval of Genetically Engineered Trees
 OPINION: Violations of International Law Denigrate U.N.
 Public Offers Support for Obama’s Iraq Intervention
 Despite Current Debate, Police Militarisation Goes Beyond U.S. Borders
 Does Iceland Gain From Whaling?
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Karachi atrapada entre criminales armados y guardaespaldas
 Migrantes deportados de EEUU, sin protección en frontera mexicana
 Uganda retrocede con ley que estigmatiza a personas con VIH/sida
 La difícil integración de cazadores y recolectores en India
 Las iglesias en pie de guerra contra minería a cielo abierto
MÁS >>