África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Cúpula sobre planejamento familiar renova esperanças
A. D. McKenzie

Paris, França, 11/7/2012, (IPS) - A cúpula sobre planejamento familiar que acontece hoje em Londres tratará de comprometer mais recursos dos governos para salvaguardar os direitos reprodutivos das mulheres, segundo o diretor executivo do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), o nigeriano Babatunde Osotimehin.

Segundo informou à IPS, a reunião pretende dar maior visibilidade ao tema e mobilizar vontades políticas e recursos adicionais para oferecer métodos de planejamento familiar a mais 120 milhões de mulheres até 2020.

"Creio que o impulso mundial que criará será bom para que mulheres e adolescentes possam exercer seu direito de planejar suas vidas", disse Osotimehin à IPS por telefone. "Já era hora", acrescentou. O UNFPA uniu-e ao governo da Grã-Bretanha e à Fundação Bill e Melinda Gates, junto com outros sócios, para organizar a cúpula e trabalhar para essa finalidade, informou Osotimehin.

Na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) o grupo de mulheres expressou sua desilusão com o documento final. "Estamos indignados pelo fato de os governos não terem reconhecido os direitos reprodutivos como um aspecto central da igualdade de gênero e do desenvolvimento sustentável no documento final", diz um comunicado do grupo que reuniu cerca de 200 organizações de mulheres da sociedade civil.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), aproximadamente 222 milhões de mulheres no Sul em desenvolvimento desejariam contar com métodos de planejamento familiar, mas não podem ter acesso a eles por várias razões, entre as quais questões culturais e falta de recursos humanos e econômicos. O UNFPA estima que ainda são necessários US$ 4,1 bilhões por ano para cobrir as necessidades de métodos anticoncepcionais modernos nos países em desenvolvimento.

Osotimehin disse que a organização pede urgência aos doadores e aos países-membros da ONU para contribuírem no sentido de se alcançar essa quantia. "Identificamos 69 países com as maiores necessidades, e esperamos que a cúpula possa arrecadar os fundos necessários para eles", destacou. O UNFPA disse que gasta 25% de seus fundos com programas destinados a "ajudar os governos a comprar métodos de planejamento familiar e melhorar seus serviços reordenando suas prioridades". A agência prevê aumentar este gasto para 40%.

Para concentrar maior atenção, a reunião de Londres coincide com o Dia Mundial da População, que será destinado a conscientizar sobre como administrar um mundo com sete bilhões de pessoas, uma cifra que, se for mantida a tendência atual, se prevê que aumentará pra nove bilhões em 2050. "A cúpula chamará a atenção para o fato de que a taxa de crescimento populacional não é inevitável, e isto é extremamente importante", disse Neil Datta, secretário do Fórum Parlamentar Europeu sobre População e Desenvolvimento, uma rede política com sede em Bruxelas que participará do encontro.

"O que acontece em termos de crescimento populacional está em grande parte influenciado ou determinado por nossas próprias ações. E estas, também relacionadas com o consumo, têm um impacto sobre o futuro de nosso planeta", afirmou Datta à IPS. "Nossa tarefa, enquanto rede parlamentar, será garantirmos que haja vontade política para apoiar o financiamento de planejamento familiar nos próximos anos", pontuou. Um dos objetivos declarados da Fundação Gates é ajudar as pessoas a se "livrarem da assistência", e o maior acesso a métodos de controle da natalidade é uma forma de conseguir isso, segundo Melinda Gates, mulher de Bill Gates, fundador da Microsoft.

"Se as mulheres têm acesso a métodos anticoncepcionais, podem salvar sua própria vida, porque sabemos que diminuirão as mortes durante o parto e também crianças serão salvas", ressaltou Melinda Gates em uma conferência sobre desenvolvimento realizada em Paris no começo deste ano. O objetivo da ajuda é que os países sejam capazes de oferecer os serviços e os produtos corretos para seu povo, afirmou Melinda naquela ocasião. "Isto é o que leva à sustentabilidade, e é quando uma sociedade pode seguir adiante por si só", acrescentou.

Osotimehin afirmou que alguns países mostraram que as práticas culturais e religiosas não são desculpas para negar às mulheres acesso a métodos de planejamento familiar. "Quero dizer que as estratégias de maior sucesso já vistas aconteceram no que pareciam ser países muito religiosos", enfatizou, mencionando o Brasil, um país de grande tradição católica, e o Irã, de fé islâmica, como duas nações com programas de planejamento familiar progressistas.

"Trata-se do contexto, de trabalhar com os atores no terreno e com as comunidades para que entendam que o planejamento familiar é uma força liberadora que potencializa as mulheres a tomarem decisões em suas vidas, que também ajuda a diminuir as mortes maternas", observou Osotimehin. "Não creio que alguma comunidade no mundo possa estar contra isso", acrescentou.

Além de mobilizar a comunidade, são importantes as reformas legais e os incentivos econômicos para "retificar a discriminação social e a injustiça econômica" contra mulheres e meninas, segundo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), com sede em Paris. Em seu último Índice de Instituições Sociais e Gênero, a entidade diz que "a autonomia reprodutiva das mulheres é limitada", pois nos países emergentes e em desenvolvimento uma em cada cinco não tem acesso a serviços de planejamento familiar. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S., Brazil Nearing Approval of Genetically Engineered Trees
 OPINION: Violations of International Law Denigrate U.N.
 Public Offers Support for Obama’s Iraq Intervention
 Despite Current Debate, Police Militarisation Goes Beyond U.S. Borders
 Does Iceland Gain From Whaling?
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Karachi atrapada entre criminales armados y guardaespaldas
 Migrantes deportados de EEUU, sin protección en frontera mexicana
 Uganda retrocede con ley que estigmatiza a personas con VIH/sida
 La difícil integración de cazadores y recolectores en India
 Las iglesias en pie de guerra contra minería a cielo abierto
MÁS >>