África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Desafios e soluções em transporte unem as cidades latino-americanas
Emilio Godoy

Cidade do México, México, 17/1/2013, (IPS) - A cooperação é uma área que as grandes cidades latino-americanas deveriam aproveitar melhor, para enfrentarem desafios compartilhados em matéria de transporte, como o de sua sustentabilidade e um desenvolvimento urbano mais humano, afirmam especialistas.


Crédito: Cortesia de Bernardo Baranda
Enrique Peñalosa, ex-prefeito de Bogotá (direita), entrega o Prêmio ao Transporte Sustentável, obtido pela Cidade do México, aos seus secretários Tania Müller (esquerda), do Meio Ambiente, e Rufino León, de Transportes e Estradas.
"Os desafios das cidades são semelhantes. Privilegiou-se o uso do automóvel, conforme cresceram com deficiências em seu planejamento, e agora têm que priorizar o espaço público", disse à IPS o especialista Bernardo Baranda, diretor para a América Latina do Instituto de Políticas para o Transporte e o Desenvolvimento (ITDP) dos Estados Unidos.

"A cooperação é muito interessante, porque se pode aprender muito com o que é feito em outras cidades. Agora são retomados projetos para priorizar o transporte público, dar-lhe uma qualidade melhor e alternativas ao usuário para que não utilize o automóvel", acrescentou Baranda. O ITDP e outras oito organizações internacionais entregaram, no dia 15, em Washington, o Prêmio ao Transporte Sustentável 2013 ao Distrito Federal (DF), onde fica a capital mexicana, que foi recebido por seus responsáveis pelas áreas de Transporte e Estradas e do Meio Ambiente, Rufino León e Tania Müller, respectivamente.

No DF vivem nove milhões de pessoas, mas, somando sua área metropolitana, que se espalha pelo circundante Estado do México, a população chega a 20,4 milhões de pessoas, se constituindo na terceira maior megalópole do mundo, atrás de Tóquio e Nova Délhi, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). As outras quatro finalistas do prêmio por transporte sustentável foram as cidades de Rosário (Argentina), Rio de Janeiro (Brasil), Bremen (Alemanha) e Kiev (Ucrânia), entre nove candidatas de oito países. bicicletas Desafios e soluções em transporte unem as cidades latino americanas

O ITDP e o não governamental Centro de Transporte Sustentável-Embarq apresentaram a candidatura da Cidade do México em agosto, por ter acrescentado mais uma rota ao sistema Metrobus, uma linha do Sistema de Transporte Coletivo Metro (trem subterrâneo), ter ampliado o programa público de aluguel de bicicletas Ecobici, e por instalar parquímetros em alguns bairros. Na edição de 2012, o prêmio foi compartilhado pelas cidades de São Francisco (Estados Unidos) e Medellín (Colômbia), enquanto em 2011 a ganhadora foi Guangzhou (China) e em 2010 Ahmedabad (Índia).

O consultor Roberto Remes disse à IPS que o prêmio ao transporte sustentável é uma oportunidade específica para que as cidades latino-americanas, indicadas ou não, se aproximem para compartilhar experiências e possíveis soluções. "As boas práticas são um incentivo, mas é preciso entender que existe um lobby de fornecedores de tecnologia que não necessariamente se alinham com as boas práticas. É um defeito os governos buscarem onde aplicar essa tecnologia em lugar de ver como resolver um problema específico", afirmou. "Falta os governos agirem com base no estado da arte e das boas práticas", ressaltou.

Em abril de 2012 começou a operar a Linha 4 do Metrobus, um modelo de transporte rápido por trilho dedicado (BRT) com 28 quilômetros, na capital mexicana, enquanto a Linha 12 do metrô, de 24 quilômetros, foi inaugurada em outubro de 2012. Além disso, o Ecobici, um sistema lançado em 2010 pelo governo metropolitano, soma quase 50 mil usuários que fazem cerca de cinco milhões de viagens. Este esquema já conta com 264 cicloestações e 3.670 bicicletas nas regiões centro e oeste da capital. Já o projeto de parquímetros Ecoparq funciona desde janeiro de 2012 em dois bairros da zona oeste da cidade e será expandido para outras regiões.

Estas medidas, aplicadas pelo Partido da Revolução Democrática que governa o DF desde 1997, buscam reduzir o uso do automóvel privado, que alimenta um transporte urbano caótico, e dessa forma obter benefícios ambientais, como a redução da poluição. Na área metropolitana do vale que concentra o DF e vários municípios do vizinho Estado do México, acontecem diariamente 49 milhões de deslocamentos, 53% deles em transporte público e 17% em veículos particulares, segundo o Centro de Transporte Sustentável-Embarq.

A implantação de sistemas tipo BRT cresceu notavelmente na última década em metrópoles da região, a ponto de funcionarem em pelo menos 17 cidades, e o mesmo acontece com os programas públicos de empréstimo de bicicletas. O prêmio é "um reconhecimento e um chamado para continuar, para torná-lo muito mais agressivo nos próximos anos", pontuou Baranda. "Ainda temos muito por fazer na integração de modos de transporte, para o usuário ter maior facilidade para passar de um modo a outro", acrescentou o diretor regional do ITDP, que atualmente negocia um convênio de colaboração com a administração da capital.

Em 2009, o especialista Carlos Pardo elaborou o estudo As mudanças nos sistemas integrados de transporte de massa nas principais cidades da América Latina, para a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Neste documento são identificados, entre os desafios das cidades regionais no setor, a integração e coerência com outros modos de transporte público, com o transporte não motorizado, com a política urbana e os investimentos públicos e privados em transporte público e as respectivas prioridades. Além disso, cita o ajuste dos tempos entre os de execução e os de tipo político, bem como a elaboração de estudos de viabilidade e análises de alternativas, para a realização de projetos de sucesso em médio e curto prazos.

Em 2012, o Rio de Janeiro, que, com 11,8 milhões de habitantes, é a segunda cidade mais populosa do Brasil, depois de São Paulo, inaugurou seu primeiro corredor para ônibus rápidos, chamado Transoeste. Além disso, expandiu o programa de bicicletas compartilhadas lançado em 2011 e empreendeu um projeto para melhorar o espaço público. A argentina Rosário, com quase 1,2 milhão de habitantes, se concentrou em melhorar o transporte, as bicicletas e o espaço público.

Em outubro, o ITDP propôs o plano Perspectivas de Crescimento da Rede de Metrobus e Transporte Integrado do DF até 2018, sistema que apresenta crescimento anual entre 25 e 30 quilômetros, para somar dez linhas em 2018, quando passará a beneficiar dois milhões de pessoas. Este ano, o governo da Cidade do México planeja expandir o Metrobus e o programa Ecobici, de modo a fortalecer a integração multimodal. "É preciso saltar para um sistema integrado de transporte. Não importa tanto o modo ou a rota, mas que o usuário conte com um sistema que tenha transbordos, com tarifas preferenciais. A conexão de todos os sistemas é muito importante", enfatizou o consultor Roberto Remes. Envolverde/IPS (FIN/2013)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Public Offers Support for Obama’s Iraq Intervention
 Despite Current Debate, Police Militarisation Goes Beyond U.S. Borders
 Does Iceland Gain From Whaling?
 Protecting America’s Underwater Serengeti
 U.S. Urged to Put Development Aid over Border Security
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 La militarización policial de EEUU tiene tentáculos en América Latina
 Estadounidenses apoyan a Obama en intervención militar en Iraq
 Â¿Quién recuenta los votos en Afganistán?
 La caza de ballenas tiene dudosos beneficios para Islandia
 Una reserva de vida para hacer sostenible la Patagonia
MÁS >>