África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Angra dos Reis terá primeiro prédio público:
Angra dos Reis terá primeiro prédio público
Agência Envolverde

Brasil, 15/08/07(IPS) - Brasília - O primeiro prédio público ecológico do país deverá ser construído, até o fim deste ano, na região de Angra dos Reis, no litoral sul fluminense. Uma nova licitação ainda não tem data para ser aberta, mas a anterior previa custo de R$ 350 mil.

O edifício será a nova sede do escritório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na região. A informação foi dada pelo superintendente do Ibama no Rio de Janeiro, Rogério Rocco, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Segundo Rocco, toda a técnica arquitetônica usada na construção buscará o aproveitamento da iluminação externa para que se consuma o mínimo possível de energia. "Também iremos aproveitar a ventilação para reduzir o consumo proveniente de aparelhos de ar condicionado e ventiladores”, disse ele.

Outro dispositivo que deve ser implantado no prédio é o sistema de captação da água da chuva. Rocco explicou que a água será armazenada e utilizada nos sistemas de descarga e nas lavagens externas do edifício. Já o material de construção - cimento, madeira e aço, entre outros - deverá ser reaproveitado. “O cimento será feito com a reutilização de pneus usados e a madeira deverá ser oriunda de demolição ou certificada”.

De acordo com o superintendente do Ibama, inicialmente, os custos da construção do prédio ecológico deverão ficar cerca de 30 a 50% mais altos do que os de uma construção comum. “Isso é uma visão de curto prazo, mas, no médio e longo prazos, a construção fica muito mais barata, pois há uma redução expressiva no custo de serviços prestados, porque se acenderá menos luz e se usará menos ar condicionado e água. Conseqüentemente, vai-se pagar menos taxas.”

Além disso, acrescentou Rocco, a utilização de material reaproveitado economiza os recursos e elementos da natureza, e isso a longo prazo traz efeitos econômicos e ambientais positivos para toda a sociedade.(FIN/2007)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 OPINION: Fighting ISIS and the Morning After
 Nuclear Deal with Iran Likely to Enhance U.S. Regional Leverage
 U.S. Ground Troops Possible in Anti-ISIS Battle
 Declining Majority Still Supports “Active” U.S. Role in World Affairs
 U.S. Bypasses Security Council on Impending Invasion of Syria
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 La “suerte” de las refugiadas sirias en Iraq
 La nueva ONU frente a la balcanización del mundo
 América Latina y el Caribe se hallan en una encrucijada climática
 Acuerdo nuclear con Irán reforzaría posición de EEUU en la región
 ONU lanza ambicioso plan humanitario en Gaza
MÁS >>