África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Angra dos Reis terá primeiro prédio público:
Angra dos Reis terá primeiro prédio público
Agência Envolverde

Brasil, 15/08/07(IPS) - Brasília - O primeiro prédio público ecológico do país deverá ser construído, até o fim deste ano, na região de Angra dos Reis, no litoral sul fluminense. Uma nova licitação ainda não tem data para ser aberta, mas a anterior previa custo de R$ 350 mil.

O edifício será a nova sede do escritório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na região. A informação foi dada pelo superintendente do Ibama no Rio de Janeiro, Rogério Rocco, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Segundo Rocco, toda a técnica arquitetônica usada na construção buscará o aproveitamento da iluminação externa para que se consuma o mínimo possível de energia. "Também iremos aproveitar a ventilação para reduzir o consumo proveniente de aparelhos de ar condicionado e ventiladores”, disse ele.

Outro dispositivo que deve ser implantado no prédio é o sistema de captação da água da chuva. Rocco explicou que a água será armazenada e utilizada nos sistemas de descarga e nas lavagens externas do edifício. Já o material de construção - cimento, madeira e aço, entre outros - deverá ser reaproveitado. “O cimento será feito com a reutilização de pneus usados e a madeira deverá ser oriunda de demolição ou certificada”.

De acordo com o superintendente do Ibama, inicialmente, os custos da construção do prédio ecológico deverão ficar cerca de 30 a 50% mais altos do que os de uma construção comum. “Isso é uma visão de curto prazo, mas, no médio e longo prazos, a construção fica muito mais barata, pois há uma redução expressiva no custo de serviços prestados, porque se acenderá menos luz e se usará menos ar condicionado e água. Conseqüentemente, vai-se pagar menos taxas.”

Além disso, acrescentou Rocco, a utilização de material reaproveitado economiza os recursos e elementos da natureza, e isso a longo prazo traz efeitos econômicos e ambientais positivos para toda a sociedade.(FIN/2007)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Yakama Nation Tells DOE to Clean Up Nuclear Waste
 World Cuts Back Military Spending, But Not Asia
 The Iranian Nuclear Weapons Programme That Wasn’t
 U.S. Blasted on Failure to Ratify IMF Reforms
 Developing Nations Seek U.N. Retaliation on Bank Cancellations
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Gobierno de Sudán del Sur aprieta la mordaza
 Ruanda se atreve a tener dulces sueños, y con sabor a helado
 Uruguay no es “pirata” por legalizar la marihuana
 Anfitrión de la ONU cierra con llave cuando quiere
 COLUMNA: García Márquez, el genio del país de la guerra sin fin
MÁS >>