Bandeira verde para a Rio+20

Posted on 08 June 2012 by admin

Fabiana Frayssinet

Rio de Janeiro, Brasil, 8/6/2012, (IPS) – Enquanto a Organização das Nações Unidas (ONU) hasteava sua bandeira nesta cidade que receberá uma de suas mais esperadas cĂşpulas mundiais sobre meio ambiente, a presidente Dilma Rousseff transmitia de BrasĂ­lia a mensagem de que o combate Ă  pobreza tambĂ©m pode ser verde.

Dilma, usando uma blusa verde e azul, cores que simbolizam a rica biodiversidade brasileira, anunciou, no dia 5, um pacote de medidas verdes, dando um sinal ao país, e também ao mundo, que já a observa às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Entre as polĂ­ticas que BrasĂ­lia levará adiante está a criação de novas áreas de extração de recursos naturais e unidades de conservação indĂ­gena, ao mesmo tempo em que ordena que as compras pĂşblicas priorizem empresas comprometidas com o cuidado com o meio ambiente. Contudo, estes nĂŁo foram os Ăşnicos temas com os quais o governo buscou surpreender sua plateia ambientalista. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, informou que foi registrado “o menor Ă­ndice de desmatamento da AmazĂ´nia em toda sua histĂłria”.

Foi um anúncio de grande efeito diante da proximidade da abertura dos encontros da sociedade civil prévios à cúpula oficial patrocinada pela ONU, que acontecerá de 20 a 22 deste mês no Rio de Janeiro, para avaliar o que foi decidido nesta mesma cidade há duas décadas, na Cúpula da Terra, e definir uma nova agenda ambiental. O Brasil fez sua parte, e antes do estabelecido em suas metas internacionais, destacou a ministra, ao indicar que na chamada Amazônia Legal foram desmatados 6.418 quilômetros quadrados entre agosto de 2010 e julho de 2011.

“Esse dado representa metade do que foi em 1992, quando foi realizada a chamada Eco 92, e um terço menos do que foi em 2004, comparou a ministra ao falar no Dia Mundial do Meio Ambiente, que foi celebrado com cerimĂ´nias paralelas realizadas no Rio de Janeiro e em BrasĂ­lia, onde Dilma recebeu autoridades das Nações Unidas. Uma mensagem expressa na mĂ©trica de nĂşmeros, porcentagens e metas que Dilma destacou uma e outra vez em seu discurso, em um momento em que chovem crĂ­ticas de organizações ambientalistas e sociais.

As primeiras a acusam de realizar uma polĂ­tica ambiental “desenvolvimentista a todo custo” e as segundas de estar “submetida aos interesses do agronegĂłcio”. A presidente respondeu dizendo que “estamos mergulhados nesse conceito de sustentabilidade traduzido pelos verbos crescer, incluir, proteger”. Dilma ressaltou ainda que, ao mesmo tempo em que pratica uma “agenda ambiental exemplar”, seu governo e o que o antecedeu desde janeiro de 2003, presidido por Luiz Inácio Lula da Silva, fizeram crescer o produto interno bruto em mais de 40% desde entĂŁo, e permitiram que 40 milhões de pobres pudessem passar a integrar a classe mĂ©dia.

“Crescemos incluindo e nos transformamos em uma referĂŞncia de preservação ambiental. É uma demonstração ao mundo de que Ă© possĂ­vel conseguir esses trĂŞs objetivos e conjugar os trĂŞs verbos”, reiterou Dilma, ao informar sobre a inclusĂŁo de 24 mil famĂ­lias pobres no programa Bolsa Verde, que estimula a busca de soluções rentáveis e sustentáveis. PorĂ©m, esses avanços detalhados pelo governo podem ser anulados rapidamente, por exemplo, com a estratĂ©gia de priorizar a construção de grandes complexos hidrelĂ©tricos na selva amazĂ´nica, segundo as organizações brasileiras que integram o ComitĂŞ de Defesa das Florestas.

Os ativistas também criticam a prospecção e exploração de combustíveis fósseis, que o governo considera imprescindível para enfrentar os novos desafios energéticos de uma nação com mais de 192 milhões de habitantes e uma classe média em constante crescimento. Dilma recordou que o Brasil tem uma das matrizes energéticas mais limpas. Entretanto, com a descoberta de novas e insondáveis reservas de petróleo no pré-sal do Oceano Atlântico próximas da costa, agora o governo também aposta em uma fonte não renovável e controversa.

Um dos grandes temas da Rio+20 Ă© a economia verde, que se baseia em reduzir o uso de combustĂ­veis de origem fĂłssil e a emissĂŁo de gases-estufa para priorizar o desenvolvimento sustentável, recordou o analista polĂ­tico MaurĂ­cio Santoro, da Fundação Getulio Vargas. “O Brasil tem um discurso oficial simpático, mas polĂ­ticas pĂşblicas que o contradizem”, criticou. “Coloca ĂŞnfase na exploração de petrĂłleo nas camadas prĂ©-sal e na construção de gigantescas hidrelĂ©tricas na AmazĂ´nia”, acrescentou.

Mário Mantovani, responsável pela organização ambiental SOS Mata Atlântica, disse Ă  IPS que “o governo agora tem esse discurso para aliviar a sĂ©rie de erros estratĂ©gicos que cometeu”, como “retirar a proteção ambiental” do novo CĂłdigo Florestal. Brenda Brito, secretária-executiva da nĂŁo governamental Imazon, une-se ao coro de protestos do ComitĂŞ de Defesa das Florestas e, embora considere positivo o anĂşncio de novas áreas de preservação ambiental e reservas indĂ­genas, pergunta atĂ© que ponto existe um compromisso do governo com a agenda verde.

“De fato, houve uma redução no desmatamento, mas vários pontos aprovados no CĂłdigo Florestal podem colocar em xeque o que já foi conquistado”, alertou Brenda, ao lembrar Ă  IPS alguns pontos dessa lei que, por exemplo, diminuem zonas de proteção de florestas. Esta Ă© apenas a frente interna que Dilma deve vencer, em relação a outra que tambĂ©m existe em nĂ­vel internacional com as potĂŞncias industrializadas que estarĂŁo presentes na Rio+20.

Como recorda MaurĂ­cio, a posição brasileira tem sido a das “responsabilidades comuns, apesar de diferenciadas”. Isto significa “que os paĂ­ses ricos e pobres tĂŞm de trabalhar juntos em questões ambientais, mas que a conta dos ajustes deve ser paga pelas nações do Norte, auxiliando os Estados em desenvolvimento com transferĂŞncia de tecnologias limpas e recursos para adaptarem-se ao aquecimento global”, ressaltou. Envolverde/IPS (FIN/2012)

Download PDF File

Download TERRAVIVA PDF File
Download TERRAVIVA PDF File   Download TERRAVIVA PDF File

 
ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT

 
Expo Milano
 

Photos from our Flickr stream

See all photos

RECENT VIDEOS

Terraviva talks to Giuseppe Sala, CEO of EXPO Milano 2015 Expo Milano 2015 is in Rio to kick off its global dialogue on food and energy. During a side on June 21, CEO Giuseppe Sala gives an overview of the Expo 2015 that will run from May to October in Milan, Italy.more >>.

Upcoming Events


 

RSS News from our partners

  • Are you ready to Connect4Climate?
    World Bank's social media campaign engaged African youth caring about climate change.
  • Natural capital accounting
    Thomson Reuters Foundation and the World Bank have jointly produced a video explaining the concept of “natural capital accounting” in the run-up to the Rio+20 summit on sustainable development. The seven-minute video news release (VNR) was created as part of a World Bank campaign for countries to carry through on promises to include the full [...]
  • IUCN World Conservation Congress
    IUCN, the International Union for Conservation of Nature, is a long standing member of COM+. It helps the world find pragmatic solutions to our most pressing environment and development challenges by supporting scientific research; managing field projects all over the world; and bringing governments, NGOs, the UN, international conventions and companies together to develop policy, [...]
  • IFC, Union for Ethical BioTrade Encourage Businesses to Protect Biodiversity in Latin America
    Rio de Janeiro, Brazil, June 17, 2012—IFC, a member of the World Bank Group, and the Union for Ethical BioTrade today announced an agreement at the Rio+20 Conference to increase private sector awareness of biodiversity and strengthen market frameworks for protecting it in Latin America. In addition to aiding environmental conservation, the partnership will help [...]
  • Rio de Janeiro e Banco Mundial lançam inĂ©dito Programa de Desenvolvimento de Baixo Carbono da Cidade
    RIO DE JANEIRO, 18 de junho de 2012 – A Cidade do Rio de Janeiro e o Banco Mundial lançaram hoje, durante a CĂşpula dos Prefeitos – evento paralelo Ă  ConferĂŞncia das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável-Rio+20 –, um programa pioneiro na esfera municipal para colocar em prática ações para o desenvolvimento de baixo carbono [...]

Sponsors and Partners of TerraViva Rio + 20


 
   
 
 
   
 
 

TerraViva is an independent publication of IPS Inter Press Service news agency. The opinions expressed in TerraViva do not necessarily reflect the editorial views of IPS or the official position of any of its sponsors or partners.
 

SOCIAL MEDIA